Friedrich Nietzsche

“O esforço dos filósofos tende a compreender o que os contemporâneos secontentam em viver.”

Sigmund Freud

“Não, nossa ciência não é uma ilusão. Ilusão seria imaginar que aquilo que a ciência não nos pode dar, podemos conseguir em outro lugar.”

domingo, 20 de abril de 2008

Nietzsche e o sofrimento

Sofrimento, o que é o sofrimento? O que significa sofrer? Para muitos, nos dias de hoje, o sofrimento é uma coisa ruim, que deveria ser banida de nossas vidas; algo que é proporcionado apenas a alguns poucos fracos. Muitos filósofos tentaram reduzir nosso sofrimento, oferecendo conselhos de como amenizar nossa dor, confortando-nos; e religiões, como o cristianismo, que se propõem a oferecer consolo aos seus fiéis. O sofrimento é visto como um sentimento que causa dor, desolação, angústia, falta de autoconfiança. Mas, quem disse que esses sentimentos são necessariamente ruins? Segundo o filósofo alemão Friedrich Wilhelm Nietzsche (1844-1900), sofrer significa muito mais do que isso. O sofrimento, na filosofia nietzscheana, ao contrário da opinião popular, é algo vantajoso na vida. Sem sofrimento não há vitória, não há sucesso. Embora muitos imaginem o sucesso como fácil e natural para algumas pessoas, na visão de Nietzsche não existe um caminho reto até o topo. "Não falem de dons ou talentos inatos.” ele escreveu. “Podemos listar muitas figuras importantes que não tinham talento, mas conquistaram seu mérito e transformaram-se em gênios. Elas fizeram isso superando dificuldades."

Como diz a famosa frase de Nietzsche: “Aquilo que não causa minha morte, torna-me mais forte”. Esta citação resume bem a visão de Nietzsche sobre o sofrimento. Mas, não basta sofrer, pois, se assim fosse, todos seríamos felizes; todos passam por dificuldades na vida e nem por isso são felizes, ou deixam de passar por grandes dificuldades. A questão é como encaramos o sofrimento, as dificuldades, os fracassos. Para definir metaforicamente sua visão, Nietzsche diz que devemos nos espelhar nos jardineiros. Um jardineiro depara-se com plantas cujas raízes são horríveis, monstruosas, mas o resultado que se obtém delas é sublime! Não há uma bela flor que não tenha uma raiz horrorosa. E é assim que devemos nos comportar, transformando a dor e o sofrimento (a raiz horrorosa), em algo belo (a flor), e proveitoso para nossas vidas.

Nietzsche não se dedicou apenas à reflexão das melhores reações aos problemas, mas também refletiu sobre quais seriam as mais desastrosas. E concluiu que uma das piores era afogar as mágoas. Era contra qualquer forma de consolação e conforto, pois isto amenizaria o efeito positivo da superação. Por conta disso, tinha horror a bebidas alcoólicas. Ele diz: "Os espíritos mais elevados devem se abster da bebida. A água basta". [O termo “espírito” nada tem a ver com a espiritualidade religiosa; por “espíritos mais elevados” compreendem-se pessoas intelectuais.] Criticava também as religiões, em especial o cristianismo; afirmava que ir à igreja era o mesmo que ir ao bar. Existem nítidas diferenças entre uma igreja e um bar, mas o que Nietzsche quer demonstrar é que o tipo de consolo oferecido em ambos é o mesmo. Ao entrar numa igreja, você pode sair sentindo-se melhor, mas sua situação continua a mesma, além de amenizar o, já citado, efeito positivo da superação de uma dificuldade. A religião cristã chega a tal ponto que desdenha o desejo, fazendo deste algo ruim e que deve ser evitado. Nietzsche viveu com pouquíssimo dinheiro, além de ter de superar dificuldades, tanto físicas quanto mentais, ao longo de sua vida. Mas não tinha o mesmo comportamento que criticava nos religiosos. Ao contrário, desejava uma saúde melhor, e melhores condições financeiras. E era justamente essa sinceridade que esperava deles.

Segundo a filosofia nietzscheana, as dificuldades que passamos constantemente, nos dão pistas do que pode estar errado em nossas vidas, se observados e refletidos de modo adequado, e podem apontar o melhor caminho para torná-la melhor.

Como demonstrei neste artigo, Nietzsche analisou o sofrimento como um todo, não apenas refletindo sobre as melhores reações, mas também as piores. Por este motivo, pode-se dizer que Nietzsche tenha sido o único filósofo a se debruçar seriamente sobre o assunto, refletindo sobre como devemos encarar nossos fracassos e dificuldades, ao invés de apenas nos fornecer uma filosofia consoladora.

23 comentários:

Luiz Fernando disse...

Sinceramente, quando vc escrever e publicar um livro, serei o primeiro a lhe apoiar.
Parabens pelo artigo.
AbraçO!

Luiz Fernando disse...

Um dia vou lhe escrever um pedaço da minha opinião sobre filosofia e a sociedade moderna.
Digamos que o enredo é semelhante à sua visão.

Abraços!!!

Lux disse...

Parabéns my Lord!
Se artigo ficou ótimo e demonstra bem a visão nietzscheana do sofrimento.

Grande parte das pessoas percebe as crises como negativas quando, na verdade, elas podem ensinar e muito. A negação dessa visão positiva da crise (sofrimento ou dor) não é só uma negação em si mesma, mas é uma negação às possibilidades da vida que surgem desses momentos.

Parabéns novamente... e que venham mais artigos como este!
Beijos!

roberto disse...

Excelente artigo! Concordo com quase tudo, exceto na condenação a meu arraigado hábito de beber cervejas meditando, enquanto vejo passarem ante meus olhos os mais belos exemplos da plástica feminina carioca, em sumários bikinis...

Sim, porque esta vida quando se é "careta" o tempo todo,é insuportável!

Temos que nos dar o direito de obliterarmos a razão, de vez em quando, somente como forma de "carregar as baterias" para o próximo embate. Se Nietzsche, por conta de sua penúria financeira, não gostava de "umas e outras", o problema é dele, mas deixa-nos o direito de entorpecer os sentidos, ao menos ocasionalmente!

Luciano Darkside disse...

pow, gostei muito do seu bolg amigo.. parabéns... espero que continue.. asim poderei debater temas interessantes com vc.. hehe...

abração...

Meus textos disse...

Concordo com Nietzsche!Vou pegar um pouco do pensamento de Piaget também,não sei se pode ser aplicável a vida quotidiana, mas serve pelo menos como analogia.Para que haja consolidação de alguma coisa, é necessário ter havido antes a desestabilização.Assim é a vida, para que possamos nos consolidar, nos tornar alguém realmente, é preciso que passemos por momentos de instabilidade.E quem não passa por estes momentos, está pulando uma etapa, a do aprendizado e fortalecimento para sustentar a posição que irá adquirir depois.Como irá sustentar algo sem ter base pra isso?Mesma coisa pode ser analizada didaticamente.Eu jogo uma informação pra você, mas você não tem subsunsores( conhecimento anterior ) sobre nada a respeito disso para formar base, a informação parece e fica totamente sem sentido, nem sua memória irá guardá-la.

Dinael disse...

Parabéns pelo Bolg.

Acho que o ser humano aprende tanto com o sofrimento , quanto com a alegria. Só repudiamos o sofrimento devido a milhares de anos de ensinamentos onde só a felicidade pode ser a recompensa merecida .
Animais inferiores aprendem com a dor e com a alegria.
Igualmente.

Leonardo Henrique disse...

boa garotoooo
por isso q eu vou escrever um livro em parceria com esse menino bom...rs

Leonardo Henrique disse...

com certeza essa visão do sofrimento segundo Nietzsche viria mto a calhar no mundo de hj em q o sofrer é usado como se fosse uma "taxa" para q o homem entre num suposto paraíso além-túmulo...isso só torna as pessoas mais conformadas com sua situação atual e desanimadas no sentido de melhorar suas vidas e a da humanidade como um todo...esse artíficie é utilizado por religiões diversas como um fator determinante para q as mesmas causem em seus fiéis a ânsia e a necessidade de apegação a seus cultos, uma verdadeira forma de alienação do povo desprovido de cultura em geral..

Danilo Sales disse...

Bacana seu texto, deu pra ver que vc conseguiu absorver bem, o material dado naquele DVD sobre filosofia, ficou muito bom seu texto.
Bom agora só falta vc acabar de ler o livro, dele e fazer um sinteze da obra, que com certeza de mostrara mais da sua opinião mesmo.
Muito bom, começou com uma boa matéria, o Layout do Blog fico muito bom, fico muito legal a matéria com a foto de Nietzsche.
Falows um grande abraço, continue assim.

Carol Ferrarezi disse...

°Primeiramente gostaria de expressar a minha satisfação eu conhecer uma pessoa com um potencial imensurável, como é difícil em um mundo onde somos bonecos de um sistema tão desumano(...) conseguir achar pessoas críticas, pensantes, que amam uma das maiores dádivas ,a que salva os homens das suas correntes, libertando-os para um visão de mundo que vai além... que é a Filosofia.
E é com grande felicidade que te dou os parabéns por esse lindo blog, com textos de grande importância para o desenvolvimento dos nossos pensamentos.
(Não é nem a minha Introdução) hauhuauh depois será um grande prazer desenvolver uma análise + profunda sobreo texto. XD

Um Grande Bjo.. Estrela do meu céu nublado.

House disse...

Sim, devemos nos observar por fora, assim aceitamos o sofrimento como apenas um fato, aviso ou aprendizado...

Lembrando q temos tendencias inatas de comportamento...

Abraços

Mary DyP disse...

vai dizer ki vc nao tirou boa parte desse texto vendo o video filosofia pra o dia-a-dia nietszche?
mesmas coias..
mas tah phoda passou realmente u ki diz o video!

Gustavo S. Barbosa disse...

Sim, Mary. Exatamente. Eu fiz um resumo do documentário. Apenas me esqueci de citar a fonte, mas nunca nego que é do documentário, e sempre conto para todos os que lêem. Fico feliz em saber que conhece o documentário, imagino que se interesse por filosofia.

Anônimo disse...

O sofrimento é nosso passaporte, para a vida eterna, nos aproxima de Deus e da verdadeira alegria. Sofrer passa, haver sofrido, não passa jamais. Antônio Xavier antoniochurros@hotmail.com

Filipe Paz disse...

Se Nietzsche lesse essas suas palavras, ele não ia gostar nadinha; Ele era ateu meu caro. Provavelmente ele não acreditava que o sofrimento é o passaporte para a vida eterna.

Caroline Mello disse...

Olá adorei o blog, Nietzsche é incrivel. Vc sabe me dizer em que site eu posso encontrar um video dele chamado "o sofrimento humano" to procurando a seculos mas nao encontro.
VLW.
PARABÉNS.

Leandro Piloto disse...

Poxa cara! parabéns! Seu texto me ajudou com uma atividade escolar do ensino médio! professor cobra bastante, hehes

Sucesso!

Filosofando disse...

... E AINDA TEM GENTE QUE CONVERSA COMIGO DIZENDO QUE A VIDA É SIMPLESMENTE COMO UM JARDIM DE BELAS ROSA SEM ESPINHOS. A VIDA É SOFRÍVEL E SEM ISSO NÃO HÁ COMO CHEGAR A VITÓRIA. AS VITÓRIAS NA VIDA, INDEPENDENTE DE QUAL QUE SEJA, SÓ SERÃO MARCANTES E VINDOURAS DE UMA GRANDE ALEGRIA, A PARTIR DO MOMENTO DE SUPERAÇÃO DESSE SOFRIMENTO. VIVA AO SOFRIMENTO SEM ELE NÓS NÃO CONSEGUIRÍAMOS VENCER OS OBSTÁCULOS DA VIDA!

Seu Chris disse...

“nem por isso são felizes” ... fala como se a felicidade fosse o objetivo, felicidade é só mais um de tantos outros “estado de espírito” que nós podemos ter. Concordo que sofrer é tão importante quanto amar, ou odiar, devemos sim obter experiência de todos os estados de espírito que nos são possíveis, discordo do Nietzsche (audácia!) por ele dizer que não devemos aliviar o nosso sofrimento, - talvez ele não gostasse de fazer isso para si, pois ele “gostava” de sofrer, era o estado de espírito preferido dele o qual ele aprendia mais, mas o meu estado de espírito favorito pode ser outro, pode ser outro estado de espírito que mereça maior atenção de minha parte, então, nesse caso, não há mal algum eu querer me livrar do sofrimento. Acho que não preciso nem falar, mas concordo plenamente que a religião reprime, e, na minha ótica, uma pessoa nunca se sentirá “realizada” se ficar se reprimindo, indireta ou diretamente, que seja.

Ana Gerin-Teixeira disse...

olá,
na verdade tenho uma pergunta. foi Nietzche que falou que todo sofriment é suportável desde que saibamos que haverá um fim?

Anônimo disse...

N ta meio recalque do video do Alain de Botton n?

Ivan Tadeu Panicio Junior disse...

Desejo ler mais sobre o assunto, vc pode me indicar a obra que se baseou de Nietzsche para que eu me aprofunde?

Ivan Tadeu
ivantadeupanicio@gmail.com